Absorvidos pela ânima/alma de uma jornada profícua, aventou-se a possibilidade de elaborar um livro que revitalizasse as discussões ensejadas e, assim, nos aventuramos em construir um “tempo” e um “espaço” para o encontro da academia com a escola, da pesquisa com o ensino, do diálogo do pesquisador/pesquisadora colaborador com a professora/professor protagonista das cenas escolares. É nesse contexto e com essa ousadia que damos substância a obra “Educação Física no Ensino Fundamental: da inspiração à ação”.

Para tanto, esclarecemos que o presente livro está investido de duas lógicas e especificidades distintas e, porque não dizer, concomitantemente, adversas e complementares. Cada interlocutor/colaborador assumiu um ponto de vista, ou seja, a vista de um ponto que, amiúde, formaliza pronunciamentos e realizações inexoravelmente incompletos e parciais, mas indubitavelmente propositivos e legítimos! Acolher e assimilar a elaboração de acadêmicos e profissionais no mesmo projeto bibliográfico não é uma tarefa que possa ser considerada trivial. Importante ressaltarmos que essas construções não têm o intuito ou a ingenuidade de considerar as realidades escolares como algo uniforme e, nem ao menos, de dar soluções universais para problemas contextuais, contingenciais e complexos. Contudo, podemos admitir, sim, que certos aspectos possam ser dignos de trato ou consideração pelas docências nos mais variados “palcos e cenários” socioeducativos. A perspectiva nesse momento da obra é da inspiração.

Portanto, esclarecendo a jornada vindoura das próximas páginas, a presente obra está divida em duas partes. A primeira está consubstanciada majoritariamente pelas elaborações teóricas dos professores e professoras do Departamento de Pedagogia do Movimento do Corpo Humano da EEFE/USP, cuja solicitação foi a de que cada um versasse sobre conceitos e ideias abertas que subsidiem, ou melhor, inspirem a construção de práticas pedagógicas e ações docentes e educativas.

Na segunda parte, os relatos e proposições de práticas e experiências pedagógicas que dispomos nesse segundo trecho incidiram preponderantemente sobre o Ensino Fundamental. Com a lógica da descrição, da narrativa, da proposição e da espontaneidade, os professores e professoras falam não apenas sobre o quê concebem, acreditam e realizam, mas especialmente sobre o que lhes acontece! Aquilo que nos toma e nos move, também o que nos acontece, não apenas a partir de nós e das nossas decisões, mas especialmente, em nós, podemos denominar de experiência docente! A perspectiva nesse momento da obra é da partilha e da realização.

A premissa que subsidia nossa ousadia coletiva contida nessa coletânea de ensaios/especulações é de que a Educação Escolar, a Educação Física Escolar e, não podíamos esquecer, a Docência, são artes, ofícios e práticas possíveis.

A sorte está lançada, leitor! Por sua conta e risco, boa aventura!

Sumário

PARTE I - Da inspiração à ação

1. Docência: do movimento entre fazer e refletir
Ana Cristina Zimmermann

2. Brincantes e goleiros: considerações sobre o brincar e o jogo a partir da fenomenologia da imagem
Soraia Chung Saura e Renata Meirelles

3. O corpo na educação e o diálogo com a educação física
Osvaldo Luiz Ferraz

4. Educação física escolar: do núcleo comum
Go Tani

5. A motivação dos alunos para as aulas de educação física: considerações e implicações para a atuação docente no ensino fundamental
Luciano Basso, Maria Teresa Cattuzzo, Dayana da Silva Oliveira e Andrea Michele Freudenheim

6. Temas integrativos no planejamento da educação física escolar do ensino fundamental – anos iniciais
Andrea Michele Freudenheim

7. Invariantes para o planejamento da educação física no ciclo ii do ensino fundamental
Umberto Cesar Corrêa

8. Conhecer para aplicar: uma abordagem a partir da análise ecológica da tarefa motora
Jorge Alberto de Oliveira e Deise Oliveira Rezende

PARTE II - A ação-inspiração

9. A introdução das lutas nas aulas de educação física escolar
Joice Mayumi Nozaki

10. Prazer e mídias sociais como elementos do ensino de ginástica artística na escola
Mildred Aparecida Sotero

11. A inserção do circo na educação física de jovens e adultos: revelando pessoas, aproximando distâncias
Marcela Avellar

12. É luta ou é briga? Venha para a “roda” e vamos tentar entender!
Tatiana do Nascimento Fonseca

13. Dança na eja: educação de jovens e adultos... (e idosos)
Dirce Maria Moreira Batista de Souza

14. Educador em experiência: o relatar como auto formação
Barbara Muglia-Rodrigues e Walter Roberto Correia