Biblioteca de Artigos Científicos

Seja bem vindo ao acervo de artigos da Fontoura Editora

HOMEPAGE MISSÃO COMISSÃO EDITORIAL NORMAS DE PUBLICAÇÃO CONTATO

COMPARATIVO ENTRE MULHERES IDOSAS ATIVAS, NÃO ATIVAS E COGNITIVAS, QUANTO AO CONTROLE MOTOR FINO E MEMÓRIA

Para baixar o artigo clique aqui

Autor(es)

Letícia Pereira de Paula, Rafaela Aparecida da Silva Jesus, Thamires Suellen Begotti, Maria Aparecida Ribeiro,  Ana Beatriz Fortes de Carvalho, Daniel Marcos de Souza

Resumo

O exercício e o treinamento físico são conhecidos por promover diversas alterações, incluindo benefícios cardiorrespiratórios, aumento da densidade mineral óssea e diminuição do risco de doenças crônico-degenerativas. Recentemente outro aspecto vem ganhando notoriedade: trata-se da melhoria na função cognitiva. Dessa forma, o uso do exercício físico como alternativa para melhorar a função cognitiva parece ser um objetivo a ser alcançado, principalmente em virtude da sua aplicabilidade, pois se trata de um método relativamente barato, que pode ser direcionada a grande parte da população. Assim, o objetivo da presente pesquisa foi comparar mulheres idosas praticantes de atividades físicas, não praticantes e jogadoras de tabuleiro que não praticam nenhum exercício físico, quanto à habilidade motora fina e memória e identificar se realmente o exercício físico somado ao trabalho cognitivo direcionado remete algum efeito superior à prática somente de atividades cognitivas, ou simplesmente elas têm o mesmo peso e se produzem algum efeito relevante quanto a falta de qualquer prática. Como instrumento para o levantamento de dados, fizemos previamente uma anamnese e em seguida dois testes, onde o primeiro considerou a coordenação motora fina, depois o teste de memória. Verificamos nitidamente que a atividade física contribui sim para a melhora da condição da coordenação motora fina e memória já que as médias puderam nos mostrar essa diferença. Desta forma confirmamos que o exercício físico é benéfico para a manutenção das habilidades e ainda quando combinado com outras atividades favorece mais ainda a qualidade de vida do público da terceira idade.

Palavras-chave: Mulheres Idosas, Memória, Controle Motor Fino.

Abstract

Exercise and physical training are known to promote several changes, including cardiorespiratory benefits, increase bone mineral density and decreased risk of chronic degenerative diseases. Recently, another aspect has been gaining notoriety: it is the improvement in cognitive function. Thus, the use of physical exercise as an alternative to improve cognitive function appears to be a goal to be achieved, mainly because of its applicability, because it is a relatively inexpensive method, which can be directed to much of the population. The objective of this study was to compare practitioners elderly women physical activity, non-practicing and players board who do not practice any physical exercise, as the fine motor skill and memory and identify whether actually exercise plus the cognitive work directed refers some superior effect to the practice only of cognitive activities, or simply they have the same weight and produce a significant effect as the lack of any practice. As a tool for data collection, previously we made a history and then two tests where the first considered the fine motor skills after the memory test. We see clearly that physical activity contributes rather to the improvement of fine motor skills and memory condition since the average could show us the difference. Thus we confirm that exercise is beneficial for maintaining the skills and even when combined with other activities favors even more the quality of life of the public of the third age.

Keywords: Senior Women, Memory, Motor Control Fino