Biblioteca de Artigos Científicos

Seja bem vindo ao acervo de artigos da Fontoura Editora

HOMEPAGE MISSÃO COMISSÃO EDITORIAL NORMAS DE PUBLICAÇÃO CONTATO

LUTAS E ENSINO SUPERIOR: PERCEPÇÕES DE ACADÊMICAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA

Para baixar o artigo clique aqui

Autor(es)

Francisco Fábio Madeiro Leitão, Danilo Bastos Moreno, Ana Cristina Guilhon Lobo Ximenes, Roberta Oliveira da Costa

Resumo

As lutas fazem parte da história da humanidade e estão dentro do conceito de cultura corporal de movimento, no entanto o conteúdo é pouco trabalhado nas aulas de Educação Física e ainda menos no que diz respeito ao sexo feminino. Assim o presente estudo tem como objetivo verificar a percepções das acadêmicas de Educação Física sobre a aplicação do conteúdo lutas nas aulas de Educação Física Escolar, avaliando a percepção destas após a vivência da disciplina de lutas no nível superior. Trata-se de uma pesquisa de campo, de natureza quantitativa-descritiva, para tal, foi utilizado como instrumento de pesquisa um questionário estruturado, aplicado em duas instituições de nível superior da cidade de Fortaleza, no período de março a junho de 2016. A amostra contou com a participação de 96 acadêmicas devidamente matriculadas no curso de Educação Física. Os resultados evidenciaram uma insuficiente vivência dos conteúdos de lutas na Educação Física Escolar, entretanto as entrevistadas reconhecem os benefícios que esta proporciona aos praticantes e estão pré-dispostas a trabalhar a temática em suas futuras aulas. Ressaltando-se que as acadêmicas entendem que o conteúdo lutas não é gerador de violência, não existindo assim a necessidade de separação de gêneros, apontam ainda que a disciplina na formação do profissional de Educação física é capaz de quebrar preconceitos e mudar perspectivas com relação a prática e aplicação das lutas. Sendo, portanto, espaço modificador onde estereótipos e tabus das divisões de gênero podem ser quebrados.

Palavras-chave: Lutas. Acadêmicas. Educação Física.

Abstract

The struggles are part of the history of humanity and are within the concept of body culture of movement, however the content is little worked in Physical Education classes and even less with respect to the female sex. Thus the present study aims to verify the perceptions of Physical Education academics about the application of content fights in the classes of Physical School Education, evaluating their perception after experiencing the discipline of fights at the higher level. It is a field research, of a quantitative-descriptive nature. For this purpose, a structured questionnaire was used as a research instrument, applied in two institutions of higher level of the city of Fortaleza, from March to June 2016. The sample was attended by 96 academics duly enrolled in the Physical Education course. The results evidenced an insufficient experience of the content of struggles in Physical School Education, however the interviewees recognize the benefits that this provides to the practitioners and are pre-arranged to work the theme in their future classes. It should be noted that academics understand that the content of struggles does not generate violence, and that there is no need for gender separation, they also point out that the discipline in the formation of the Physical Education professional is capable of breaking down prejudices and changing perspectives regarding practice and application of the struggles. It is therefore a modifying space where stereotypes and taboos of gender divisions can be broken.

Keyword: Fights. Academic. Physical Education.