Biblioteca de Artigos Científicos

Seja bem vindo ao acervo de artigos da Fontoura Editora

HOMEPAGE MISSÃO COMISSÃO EDITORIAL NORMAS DE PUBLICAÇÃO CONTATO

DISTRESSE PSICOLÓGICO, AFETOS E ATIVIDADE FÍSICA NO DECORRER DA COVID-19: UM ESTUDO LONGITUDINAL

Para baixar o artigo clique aqui

Autor(es)

Geovana Mellisa Castrezana Anacleto, Bruno Bonfá-Araujo, Evandro Morais Peixoto, Karina da Silva Oliveira, Carolina Rosa Campos.

Resumo

Desde o segundo semestre de 2019 o mundo vive as consequências do vírus SARS-CoV-2 que causa a COVID-19, um destes efeitos é a necessidade de isolamento social. Sabe-se que manter-se em quarentena reduz a propagação do vírus e reduz as chances de contaminação. Todavia, uma das decorrências negativas do isolamento social é a diminuição da prática de atividades físicas e o aumento de doenças mentais. Dentre as complicações psicológicas estão os efeitos do distresse psicológico e diminuição do bem-estar subjetivo. Este estudo teve como objetivo conhecer qual a influência dos afetos positivos e negativos, distresse psicológico e prática de atividades físicas em indivíduos, sendo um estudo longitudinal com dois períodos de coleta. Os participantes foram 36 sujeitos (M = 32,44; DP = 10,08), que responderam a um questionário sociodemográfico e de prática de atividades físicas, a Escala Kessler de Distresse Psicológico e a Escala de Afetos Positivos e Negativos. Foram realizadas estatísticas descritivas e comparou-se a média de acordo com o sexo a partir do teste t de Student, além disso foi analisada a diferença de média entre tempo 1 e 2 pelo teste t pareado. Os resultados indicaram diferenças entre a prática de atividade física, contudo não foram encontradas diferenças para a variável sexo ou momento de coleta. Apesar disso, não é possível afirmar que os desfechos negativos não existem, além de ser necessário pensar em diferentes medidas de intervenção.

Palavras-chave: Ansiedade. Depressão. Emoções. Psicologia do Esporte.

Abstract

Since the second semester of 2019 the world has been experiencing the consequences of the SARS-CoV-2 virus that causes COVID-19, one of these effects being the need for social isolation. It is known that quarantine reduces the spread of the virus and reduces the chances of contamination. However, one of the negative consequences of social isolation is the decrease in the practice of physical activities and the increase in mental illnesses. Among the psychological complications are the effects of psychological distress and decreased subjective well-being. This study aimed to understand the influence of positive and negative affects, psychological distress and physical activity in individuals, being a longitudinal study with two data collection periods. The participants were 36 subjects (M = 32.44; SD = 10.08), who answered a sociodemographic and physical activity questionnaire, the Kessler Psychological Distress Scale and the Positive and Negative Affect Scale. Descriptive statistics were performed, and the mean was compared according to sex from the Student's t-test, in addition the difference in mean between time 1 and 2 was analyzed by the paired t-test. The results indicated differences between the practice of physical activity, however, no differences were found for the variable sex or time of data collection. Despite this, it is not possible to affirm that negative outcomes do not exist, in addition is necessary to the need to think about different intervention measures.

Keywords: Anxiety. Depression. Emotions. Sports Psychology.