Biblioteca de Artigos Científicos

Seja bem vindo ao acervo de artigos da Fontoura Editora

HOMEPAGE MISSÃO COMISSÃO EDITORIAL NORMAS DE PUBLICAÇÃO CONTATO

COMPARAÇÃO DO DESEMPENHO MOTOR ENTRE ESCOLARES DO SEXO MASCULINO E FEMININO

Para baixar o artigo clique aqui

Autor(es)

Ana Karolina Rodrigues Ponce, Renan Passini, Thaís Santos Lisboa, Vanessa Grando Amorim, Patricia Berbel Leme de Almeida

Resumo

A infância é um período crítico, extremamente importante, associado aos aspectos de conduta e de solicitação motora. Nesta fase do desenvolvimento humano, além das implicações de cunho fisiológico relacionadas aos aspectos de maturação biológica, o organismo jovem encontra-se especialmente sensível à influência de fatores ambientais e comportamentais tanto de natureza positiva como negativa. Com isso, o objetivo do presente estudo foi comparar o desempenho motor entre escolares do sexo masculino e feminino. Para tanto, foram avaliados 116 escolares, sendo 55 do sexo feminino e 61 do sexo masculino, com faixa etária entre 7 e 10 anos. Os testes motores realizados foram salto horizontal parado, salto vertical sem o auxílio dos braços e com o auxílio dos braços, flexão e extensão dos braços, abdominal e shuttle run. Para análise dos dados foi utilizada estatística descritiva e teste “t” de student para amostras independentes (p<0,05). No salto horizontal parado houve diferença significante entre as moças e os rapazes, respectivamente, aos 8 anos (102,9±19,9; 126,9±16,9), aos 9 anos (118,0±14,2; 130,6±13,1) e aos 10 anos (118,2±21,7; 133,1±11,5), sendo os maiores valores observados nos rapazes. No salto vertical com o auxílio dos braços observou-se diferença significante somente aos 10 anos entre as moças (21,1±5,9) e os rapazes (26,6±5,3), sendo os maiores valores atribuídos aos rapazes. No teste de flexão e extensão dos braços houve diferença significante entre as moças e os rapazes, respectivamente, aos 7 anos (2,1±1,1; 9,7±4,5), sendo os maiores valores encontrados nos rapazes. No teste abdominal observou-se diferença significante entre as moças e os rapazes, respectivamente, aos 7 anos (7,8±12,9; 19,6±13,0) e aos 10 anos (27,1±10,3; 35,2±8,6), sendo os maiores valores encontrados nos rapazes. No shuttle run houve diferença significante entre as moças e os rapazes, respectivamente, aos 7 anos (14,7±1,1; 13,6±1,1) e aos 10 anos (12,8±0,8; 11,8±0,7), sendo os menores tempos realizados pelos rapazes, ou seja, os melhores desempenhos. Nos demais testes e idades não houve diferença estatística entre os grupos avaliados. Com isso concluiu-se que na infância, a partir dos 7 anos, já encontram-se diferenças sexuais no desempenho motor em escolares, sendo que os rapazes apresentam maior desempenho nos testes motores em relação às moças da mesma idade.

Palavras-chave: Desempenho motor, escolares.

Abstract

Childhood is a critical period, extremely important, combined with aspects of conduct and motor request. At this stage of human development, and the implications of physiological aspects related to biological maturation, the young organism is especially sensitive to the influence of environmental and behavioral factors of both positive and negative nature. Therefore, the purpose of this study was to compare the motor performance of male students and female. To this end, we assessed 116 students who were 55 females and 61 males, aged between 7 and 10 years. The motor tests performed were standing horizontal jump, vertical jump without the aid of arms and with the aid of the arms, flexion and extension of the arms, abdominal and shuttle run. Data analysis was used descriptive statistics and t test of Student for independent samples (p <0.05). In the horizontal jump there was no significant difference between girls and boys, respectively, to 8 years (102,9±19,9; 126,9±16,9), to 9 years (118,0±14,2; 130,6±13,1) and 10 years (118,2±21,7; 133,1±11,5), and the highest values observed in boys. In the vertical jump with the help of the arms showed a significant difference only at 10 years among girls (21,1±5,9) and boys (26,6±5,3), and the highest values assigned to the boys. In the test of flexion and extension of the arms was no significant difference between girls and boys, respectively, to 7 years (2,1±13,1; 9,7±4,5), and the highest values found in girls. In abdominal test showed significant difference between girls and boys, respectively, to 7 years (7,8±12,9; 19,6±13,0)  and 10 years (27,1±10,3; 35,2±8,6), and the highest values found in boys. For the shuttle run there was no significant difference between girls and boys, respectively, to 7 years (14,7±1,1; 13,6±1,1)  and 10 years (12,8±0,8; 11,8±0,7), with the lowest time achieved by the boys, that is, the best performers. In other tests and ages there was no statistical difference between the groups. Thus it was concluded that in childhood, from age 7, it is already noticeable sex differences in motor performance in school, and boys have higher performance in motor tests than females the same age.

Keywords: Motor performance, students.