Biblioteca de Artigos Científicos

Seja bem vindo ao acervo de artigos da Fontoura Editora

HOMEPAGE MISSÃO COMISSÃO EDITORIAL NORMAS DE PUBLICAÇÃO CONTATO

CORRELAÇÃO ENTRE DOIS TESTES DE FORÇA DE MEMBROS SUPERIORES EM IDOSAS FISICAMENTE ATIVAS

Para baixar o artigo clique aqui

Autor(es)

Rafael Pinheiro Albanez; Marcus Felipe da Nepomuceno; André Gustavo Pereira de Andrade; Marcos Borges Júnior; Vanessa Baliza Dias.

Resumo

A população idosa no mundo está crescendo de forma significativa, e junto com este crescimento percebe-se um aumento nos anos vividos. Sendo assim, faz-se necessário o conhecimento das variáveis que influenciam o processo de envelhecimento para que se possa dar mais qualidade aos anos vividos. Um fator que influencia diretamente a qualidade de vida dos idosos é a fragilidade, que se relaciona com a independência e autonomia. Já é evidenciado na literatura que a força de preensão manual é um bom preditor de fragilidade. Porém, o custo de um dinamômetro ainda é muito caro, o que inviabiliza estudos epidemiológicos com a população idosa. Para isso, objetivou-se neste estudo correlacionar dois testes de força de membro superior em idosas fisicamente ativas. Realizou-se um estudo transversal, descritivo e analítico com 66 voluntárias, com 60 anos ou mais, fisicamente ativas. Foram utilizados os testes flexão de braço e preensão palmar com dinamômetro hidráulico. Na análise dos dados, utilizou-se o teste de normalidade de Shapiro-wilk e a correlação por postos de Spearman com p<0,05. A média encontrada para preensão palmar foi de 21,9 kgf (±6,26) e para flexão de braço foi de 18,86 repetições (±4,10). A correlação entre os dois testes foi moderada (r=0,51) e positiva. Conclui-se que o teste de flexão de braço pode ser utilizado com alternativa mais viável para avaliação de força de membro superior em idosas.

Palavras-chave: Funcionalidade; flexão de braço; preensão palmar.

Abstract

The elderly population in the world is growing dramatically, and with this growth we perceive an increase in years lived. Therefore, it is necessary to know the variables that influence the aging process so that we can give more quality to the years lived. One factor that directly influences the quality of life of older people is the fragility that relates to the independence and autonomy. It is evidenced in the literature that the handgrip is a good predictor of fragility. However, the cost of a dynamometer is still very expensive, which makes epidemiological studies with the elderly population. For this reason, this study aimed to correlate two strength tests of upper limb in active elderly women. We conducted a cross-sectional study, descriptive and analytical with 66 volunteers, aged 60 years or older, physically active. Bending tests were used to arm and hand grip with hydraulic dynamometer. In data analysis, we used the normality test of Shapiro-Wilk and Spearman rank correlation p <0.05. The average for handgrip was 21.9 kgf (± 6.26) and arm flexion repetitions was 18.86 (± 4.10). The correlation between the two tests was moderate (r = 0.51) and positive. It is conclueded that the test of push-ups can be used with most viable alternative for assessment of upper limb strength in elderly women.

Keywords: Functionality; push ups; hand grip.